11 5671-9100
Telefone: 11 5671-9100 E-mail: vendas@prolab.com.br Facebook

Saiba como funciona o Soxhlet e sua importância na extração de lipídeos

Publicado em: 11/04/2018
extrator Soxhet

tonaquatic / iStock / Getty Images Plus O Soxhlet é um equipamento utilizado para extrair lipídios e materiais sólidos que não conseguem se dissolver com água.

Quem atua em um laboratório sabe da importância de utilizar materiais de qualidade e não alterar substâncias ou materiais genéticos para garantir eficácia das transformações e soluções trabalhadas. Isso inclui a utilização de vidrarias: os reservatórios de vidro precisam ser consistentes e de caráter neutro para armazenar e condensar produtos genéticos que serão manipulados em seu interior.

Um dos materiais mais benéficos para se usar nesses processos é o extrator Soxhlet. Com um nome diferente, o material foi criado em 1879 por Franz Von Soxhlet (daí o nome do material). Utilizado para a extração de lipídios e materiais sólidos que não se dissolvem com água, o Soxhlet consegue armazenar essas substâncias com toda a propriedade e permite que o responsável por manipular os materiais não precise ficar conferindo a todo momento a reação do composto quando estiver em contato com um solvente.

Soxhlet: estrutura do aparelho

O Soxhlet possui três partes, e cada uma delas realiza o processo sem necessidade manual. A primeira é o reservatório de vidro (também conhecido como dedal), que contém um tubo na parte lateral. Esse tubo pode esvaziar ou preencher o espaço no qual o composto é colocado. O reservatório de vidro é envolto por outras duas partes: o condensador — que ocasiona o refluxo do solvente que é posto na concentração — , e o balão, que fica concentrado na parte de baixo e destila o composto com a adição do solvente.

No momento de realizar o processo, é importante que o balão seja aquecido com uma manta aquecedora para que a extração de lipídios no Soxhlet seja eficaz e a destilação ocorra sem nenhum problema.

Sohxlet: como funciona?

Após a colocação da substância no reservatório de vidro, o manipulador precisa colocá-lo na câmara do Soxhlet, com um filtro de papel envolto para absorver com mais propriedade o aquecimento da manta. Em seguida, o solvente é colocado dentro do balão de destilação, sempre em uma quantidade maior do que o composto. Normalmente, um nível quatro vezes a mais do que o volume do composto é o recomendável para que se chegue a um resultado oportuno.

Com as medidas analisadas e já preparadas, o reservatório é aquecido e o Soxhlet colocado na parte de cima do frasco. O solvente é aquecido, e o refluxo é ocasionado a partir do condensador, com o vapor subindo ao frasco e se condensando na parte central do Soxhlet. Absorvendo o solvente, aos poucos o composto vai se dissolvendo com o aquecimento do solvente e as partículas sólidas da substância são extraídas pelo tubo lateral do reservatório de vidro.

A vantagem do Soxhlet é que o solvente entra em ebulição por meio de um aquecimento apropriado e em uma condição que o composto vai sofrer a extração de forma rica e sem perda dos materiais a serem analisados. O líquido é absorvido pelo papel filtro e as partes sólidas não são empurradas para o balão.

Para analistas de laboratório, o uso do Soxhlet é inteiramente importante para se chegar a uma amostra mais concentrada e com uma porção considerável para estudo e análise.

Últimas Notícias

Desenvolvido por: AO5 Marketing Digital